Soja em Grãos Granel - comprar online
Oferta

Soja em Grãos Granel

R$1,20 R$0,99

Digite aqui o seu CEP para calcular o frete:


Descrição do produto

A carne de soja já é conhecida como substituta da carne animal na dieta das pessoas que seguem o vegetarianismo, como forma de oferecer proteínas ao organismo. Mas quais são os outros efeitos que esse alimento traz ao organismo? Vamos conhecer alguns dos benefícios da carne de soja para saúde e boa forma?

1. Perda de peso

Enquanto uma porção de 100 g de carne de soja possui 106 calorias, a mesma quantidade de bife de carne de boi traz 252 calorias e um peito de frango do mesmo tamanho fornece 195 calorias. Logo, substituir esse dois últimos alimentos pela carne feita à base de soja nas refeições resultará em uma diminuição na ingestão calórica, algo que se reflete na diminuição do peso corporal.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, que foi divulgada no ano 2007 no site Science Daily, chegou à conclusão que a ingestão de soja afeta o hormônio regulador do apetite leptina, assim como os seus receptores. Isso causa uma aceleração no metabolismo, o que transforma a queima de lipídios (gordura) e redução do peso em importantes benefícios da carne de soja.

Vale ressaltar aqui que o experimento foi realizado com ratos de laboratório.

Além disso, fabricantes da soja afirmam que a proteína encontrada no grão causa a sensação de saciedade no organismo e possui um índice glicêmico (IG) baixo, o que significa que ela é digerida de maneira mais lenta e diferente dos alimentos com o IG elevado, não causa picos e quedas bruscas nos níveis de glicose no sangue, efeito que traz o aumento do apetite.

Por outro lado, é preciso ressaltar que a soja traz uma quantia significativa de carboidratos em sua composição. Por exemplo, 50 g da proteína texturizada de soja fina têm aproximadamente 16 g do nutriente e 100 g de grão de soja apresentam em torno de 33 g do componente.

Apesar dos carboidratos serem importantes no organismo para a obtenção de energia, consumi-los em excesso não é uma boa ideia para quem deseja emagrecer, pois ele pode ser armazenado como gordura.

Assim, por mais que existam evidências que a perda de peso é um dos benefícios da carne de soja, o melhor é não depender apenas dela para entrar em forma e basear-se em uma dieta saudável e equilibrada e na prática de exercícios físicos. 

2. Ganho de massa muscular

Como já dito, a carne de soja pode servir como uma substituta de proteínas para quem não consome alimentos de origem animal que funcionam como fontes do nutriente.

De acordo com o que o Dr. José Antonio, diretor da Sociedade Nacional de Nutrição Esportiva disse, a soja é uma proteína completa que possui todos os aminoácidos essenciais (substâncias que compõem as proteínas e não são produzidas pelo organismo), algo raro de acontecer com outras fontes proteicas vegetais.

As proteínas são fundamentais para quem deseja adquirir crescimento muscular, pois atuam na construção e reparação dos músculos.

Outra vantagem da soja em relação ao aumento dos músculos é que ela eleva as taxas de óxido nítrico, o que aumenta o fluxo de sangue nos músculos e faz com que os níveis dos hormônio responsáveis pelo seu crescimento também sejam maiores.

Tudo isso mostra que podemos afirmar que um dos benefícios da carne de soja é o auxílio ao crescimento muscular.

É preciso esclarecer também que apesar de alegações que há a presença de fitoestrógenos na composição dos grãos de soja, componentes que são considerados a versão vegetal do hormônio feminino estrogênio, a carne de soja não atrapalha o ganho de massa muscular nos homens. Isso porque essas substâncias não agem como estrogênio no organismo masculino e nem diminuem o nível de testosterona, hormônio associado ao crescimento muscular.

3. Saúde da mulher

A soja utilizada no preparo da carne alternativa já foi associada ao alívio de sintomas da menopausa em mulheres como suadeiras noturnas e afrontamentos (ondas de calor). Alimentos à base do ingrediente também já foram associados a um menor risco de desenvolvimento de câncer de endométrio e da mama.

Além disso, a soja também pode auxiliar as mulheres com menos de 65 anos em relação às suas funções cognitivas.

4. Nutritiva

Outro dos benefícios da carne de soja que merece destaque é que ela é altamente nutritiva. Não somente por ser uma boa fonte de proteínas, mas por oferecer o ferro, um mineral importante para a respiração celular e a formação de hemoglobina (proteína dos glóbulos vermelhos) no sangue, além de vitaminas do complexo B.

Nesse caso, quem merece um destaque especial é a vitamina B12, que é dificilmente encontrada em alimentos de origem vegetal e atua na constituição dos glóbulos vermelhos, no sistema nervoso central e na regeneração e reserva de energia dos músculos. 

5. Diminuição do colesterol ruim

Trocar a carne tradicional pela carne de soja pode contribuir para a redução dos níveis do colesterol ruim – o LDL – no organismo. Esse efeito é experimentado devido ao menor teor de gordura encontrado na soja.

6. Redução da pressão arterial

Segundo o site Dietitians of Canada (Nutricionistas do Canadá, tradução livre), a ingestão de alimentos feitos a partir da soja na dieta de mulheres que estão na fase da pós-menopausa pode causar redução em sua pressão arterial.

7. Fonte de gorduras saudáveis 

A soja que dá origem à carne de soja tem um baixo teor de gordura e é composta por gorduras consideradas saudáveis como as monoinsaturadas e as poli-insaturadas. Isso inclui ainda o ácido graxo ômega-3, associado a benefícios ao cérebro e coração além do combate à obesidade e ao diabetes.

Por outro lado… 

Apesar destes benefícios da carne de soja, ela também tem os seus lados negativos. Um deles ocorre em relação ao ferro presente em sua composição: ele é do tipo não-heme, que tem uma eficiência menor na absorção do que os ferro categorizados como heme e encontrados na carne convencional.

Para burlar esse prejuízo, a recomendação é consumir fontes de ferro heme, como peixes e aves. E se a pessoa não come esse tipo de alimento, o jeito é ingerir comidas ricas em vitamina C, tendo em vista que ela aumenta a absorção de ferro.

Mais grave que isso é o fato que a soja é ácida para o sangue, o que eleva o risco do aparecimento de doenças como reumatismo, artrite e artrose, estimula o desenvolvimento de alergias e diminui a quantidade de cálcio no organismo, um mineral importante para os ossos.

Existem indícios ainda de que o ingrediente pode prejudicar a fertilidade masculina e o trabalho da tireoide, que age no funcionamento órgãos como o coração e o cérebro, no desenvolvimento de crianças e adolescentes, na regulação do ciclo menstrual, no peso e no controle emocional.

Outro risco grave apresentado pela carne de soja, assim como por outros produtos feitos a partir do grão, é o de desenvolvimento de câncer na bexiga.

Pessoas alérgicas à soja ou um de seus componentes e com problemas de tireoide não devem comer carne de soja ou outro produto ou alimento preparado com o ingrediente. Quem possui alguma doença que exija o uso de medicamentos, em especial o câncer de mama, deve conversar com seu médico antes de integrar a soja na dieta por conta do risco de interação de seus fitoestrógenos com o remédio.

A carne de soja também não pode ser consumida em altas quantidades por mulheres grávidas, sob o risco de afetar o desenvolvimento do bebê. Alimentos com soja ainda podem prejudicar o processamento de proteínas por parte de crianças com fibrose cística. Logo, não é seguro dar a comida a elas.

A ingestão prolongada de produtos à base de soja não é indicada para mulheres com câncer de endométrio já diagnosticado. Devido ao risco do grão que dá origem à carne prejudicar os rins, não é aconselhado que pessoas com insuficiência renal e histórico de pedras nos rins comam a carne de soja.

Quem tem asma ou rinite alérgica não é orientado a comer carne de soja, sob o risco de ter alergia. O mesmo serve para os portadores de diabetes que estejam tomando remédios para controlar a taxa de açúcar no sangue, já que a soja pode contribuir para uma diminuição excessiva nos níveis de glicose.

Detalhes das parcelas